Oficinas


Segue a sinopse de algumas oficinas já ministradas.


Oficina de escrita criativa
*1 turma de 10h, dentro do evento Teia Catarina 2016, para representantes dos Pontos de Cultura de Santa Catarina.

Oficina de iniciação à escrita literária, com desbloqueio da criatividade verbal e exercícios de criação. Experimentação das diferenças entre o texto literário e o científico-informativo e desenvolvimento de recursos sonoros e visuais da linguagem. Vivência de criação de imagens poéticas e de escrita coletiva, amparada na noção de rede.


Oficina de poesia e performance
*4 turmas de 30h, dentro do projeto Rumor da Casa/Porto Alegre, em 2008; 1 turma de 30h na Biblioteca Comunitária da Restinga/Porto Alegre; 1 turma de 8h, dentro da Feira do Livro de Porto Alegre, 2009, 2 turmas de 3h, dentro da 7ª Bienal do Mercosul, 2009.

Oficina teórico-prática que parte da reflexão/experimentação de características imagéticas e sonoras do poema para a vocalização e performance corporal dos textos criados. Exercícios de leitura e escrita são revezados com práticas vocais e corporais, aliando-se ao final as duas vertentes na criação de performances individuais dos participantes, que formam um repertório de grupo a ser apresentado. Participantes das oficinas apresentaram-se no Teatro Álvaro de Carvalho e em 4 lojas da Livraria Saraiva, em Porto Alegre.







Da regra à invenção: a criação do primeiro romance
*Encontros literários do SESC/RS, 2011.
*Oficinas de 12h e 8h, para público adolescente e adulto.

Uma abordagem do gênero romance, em sua definição tradicional e nas abordagens contemporâneas. Discussão sobre as formas consolidadas em diversas épocas e suas rupturas/transgressões. Reflexões a partir de referências teóricas (Mikhail Bakhtin, Roland Barthes, Gerard Genette) e depoimentos de escritores (Erico Verissimo, Italo Calvino, Rainer Maria Rilke, Schopenhauer). Foi oferecida uma apostila contendo exercícios que orientam a criação.






Haikai: do Japão para o Brasil
*Encontros literários do SESC/RS, 2008 e 2009.
*Oficinas de 30h e 20h, para público adulto.

A oficina propôs uma imersão na arte do haikai, oferecendo um breve embasamento teórico-crítico e em seguida a apreciação de haikais tradicionais japoneses bem como de haikais produzidos no Brasil através das apropriações de Guilherme de Almeida, Paulo Leminski e Alice Ruiz. Através de estímulos sensoriais, propôs-se ainda a criação de haikais entre os participantes.






A poesia na prosa contemporânea
*Programa de Formação de Escritores, SESC/SC, 2007.
*2 turmas de 30h, organização de publicação com os textos produzidos.

Percurso crítico e criativo no qual os participantes procuraram perceber a poesia e a prosa contemporâneas em diálogo; atentando para os recursos poéticos que aparecem em romances e contos célebres, bem como o caráter narrativo de poemas da tradição brasileira. Autores como Julio Cortázar, Clarice Lispector, Guimarães Rosa, Ana Cristina Cesar e Paulo Leminski foram apreciados; enquanto exercícios práticos propuseram a criação de textos breves com essas características fusionais.


Oficina de poesia para crianças
*Estação de Leitura Social, SESC/SC.
*3 grupos de 30h, durante o ano de 2006. Público infantil (3º e 4º anos)

Oficina centrada no incentivo à leitura e produção textual, na qual eram oferecidas às crianças atividades lúdicas envolvendo ritmos e rimas, além da fruição e vocalização de poemas infantis. Cada participante criou um pequeno livro com os poemas produzidos a partir de exercícios de escrita, e ao final do percurso ocorreu um sarau com a apresentação das crianças.




Poesia dramática, texto poético
*Dentro da programação do Café Literário, SESC/SC.
*Em 2006, 14 oficinas de 3h de duração, para público adulto.

O objetivo da oficina era chamar a atenção para as relações de proximidade/contiguidade entre o texto poético e dramático, fazendo um pequeno recorrido pela dramaturgia ocidental desde Homero, com ênfase no Teatro do Absurdo e em especial os textos longos de Samuel Beckett e o poema dramático O marinheiro, de Fernando Pessoa. Exercícios breves de criação nos quais o intuito era provocar os participantes a criar ambiguidade entre possíveis destinações teatrais e a fruição poética.


Oficina de criação poética
*Projeto Descentralização da Cultura, Prefeitura de Porto Alegre.
*De abril a novembro de 2004, para público adulto.

Oficina de longa duração com grupo do Parque Ararigboia – Bairro Jardim Botânico. Investigando a noção de “delírio do verbo” retirada de um poema de Manoel de Barros, o grupo experimentou práticas iniciais que tinham por objetivo quebrar com a lógica convencional e incentivar a criação de imagens poéticas. Experimentação dadaísta, composição a partir de imagens surrealistas, e a investigação dos conceitos de melopeia, fanopeia e melopeia de Ezra Pound foram algumas das atividades. Leituras de Paulo Leminski, Carlos Drummond de Andrade, dos irmãos Campos e Arnaldo Antunes, além de Manoel Bandeira, entre outros, também fomentaram a reflexão e criação poética.